Brincamos na neve! Bariloche – Argentina #2

482

E aí, pessoal! Tudo bem? Estão prontos para mais um dia cheio de passeios e aventuras?

Pois bem, hoje o nosso post vai conter dois dias. Isso por uma razão muito chata, mas que no fim, nos trouxe uma proposta diferente. A parte chata é que colocamos a case da câmera, por conta da chuva, e isso fez com que eliminasse o áudio. Nós não sabíamos que isso ia acontecer. Então a gente passou um dia inteiro comentando tudo, e serviu apenas pelas imagens, mas nada de áudio.

Com isso, resolvemos narrar as partes mais importante e juntar dois dias de passeios. Infelizmente esse problema fez com que perdêssemos muitas informações que seriam úteis para quem quiser fazer o mesmo passeio, como preços, curiosidades, entre outros.

Segue o baile…

Segundo Dia da Viagem – O passeio que quase não existiu

Nosso passeio de hoje é o Cerro Tronador, um local mais afastado do centro e recomendado fazer apenas ele no dia, pois a agência busca no início da manhã e finaliza lá pelas 17h. Tivemos muita sorte de conseguir agendar ele, pois esta seria a última data, já que iriam fechar as estradas para iniciar as obras.

Reservamos com a agência de turismo e fomos pegos de van na nossa casa. Ainda bem, porque não recomendamos a ninguém tentar ir por conta própria. A estrada não é boa para quem não conhece o local e por muitas vezes só se passava apenas um veículo por vez, e se tombasse pro lado, um abraço. Sem contar que o gelo deixa a pista bem escorregadia.

Neste passeio usamos apenas as botas que alugamos no dia anterior. E elas foram ótimas, pois a umidade era capaz de entrar nos nossos pés e isso seria um perigo já que o lugar era muito gelado e úmido. E para ajudar, choveu quase o dia todo.

No caminho paramos em alguns lugares, seja para apreciar a paisagem, fazer nossas refeições, tirar água do joelho e nos aquecermos.

O preço dos lanches e bebidas, como poderíamos esperar, não eram baratos. Então, se você é como a gente, que gosta de economizar, pode levar seu lanchinho na bolsa, pois vai te ajudar muito!

Nosso "almoço" no caminho para Cerro Tronador
Nosso “almoço” no caminho para Cerro Tronador

Este seria um dos passeios que estávamos cogitando não fazer, pois ocupava muito tempo e era longe. Mas ficamos refletindo se não nos arrependeríamos, pois parecia bastante peculiar. E ainda bem que fomos. O lugar era encantador. Sentíamos ali que não éramos nada diante da natureza, tamanho das montanhas, árvores, pedras. Tudo enorme.

O tempo ajudou no começo, mas depois resolveu mostrar sua força. E a chuva começou a desabar. E como se deve imaginar, chuva + frio, o resultado não é tão agradável quando se vê um monte de gelo ao seu redor. Então, logo voltamos pra van, e voltamos pra casa.

De noite, só deu tempo de passar no mercado, comprar algo pra comer e descansar, pois o próximo dia seria cheio novamente.

Terceiro dia da Viagem – Vamos conhecer a Neve!

Começamos o dia já utilizando as roupas alugadas na loja, incluindo jaqueta, calça e bota. Por isso tudo, pagamos 669 pesos/conjunto. Sério, este é um custo que vale muito a pena. Você usa o dia inteiro, devolve sem lavar e se for usar no outro dia, você pode trocar por outra, seca e limpa. É bom até pra quem quiser fazer looks diferentes.

Cerca de 8h30 a van estava nos buscando novamente em casa. Desta vez iríamos fazer o Circuito Chico, um dos passeios mais conhecidos de Bariloche. Como diz o próprio nome, o circuito percorre por diversos pontos turísticos.

>> Veja mais: O início das nossas férias em Bariloche – Argentina #01

A primeira parada é no Cerro Campanario, bem próximo do centro e pode até ser feito com carro alugado, pois a rua é extremamente boa. Para subir, você usa o teleférico aberto, e no final, você ainda tira uma foto que você pode comprar de recordação.

O custo é de 200 pesos (20 reais na época) e deve ser retirada em uma loja no centro no dia seguinte. Recomendamos muito, já que um chaveiro escrito BARILOCHE, custa 120 pesos.

Lá de cima você pode ter uma visão panorâmica incrível, as montanhas, a cidade, o lago. Daria para passar o dia refletindo sobre a vida. Mas tem que estar bem agasalhado, pois o vento castiga bastante também.

Ficamos mais de uma hora, fizemos várias fotos e pudemos ficar curtindo bastante, antes de ser chamados para ir embora.

Há poucos minutos dali, paramos na Fábrica de Rosa Mosqueta. Um lugar onde se fabricam vários produtos cosméticos e chás benéficos para a saúde. Lá pudemos experimentar alguns de seus produtos, além de receber uma explicação dos funcionários.

Seguindo nosso itinerário foi a vez de ir ao Parque Nacional de Nahuel Huapi e parar na Capela San Eduardo. Ela foi construída em 1938, toda de madeira e pedra e fica muito próximo ao Hotel luxuosíssimo e tradicional Llao Llao. A paisagem é digna de cartão postal da cidade. Também pudemos provar um chocolate maravilhoso que vendem por ali.

Capela San Eduardo e ao fundo o Hotel Llao Llao - Bariloche/Argentina

Para finalizar nosso passeio da manhã, paramos no Ponto Panorâmico, um lugar incrível onde podemos fazer várias fotos com fundos perfeitos. Lá possui diversas pessoas vendendo sua arte, comida e até fotos com o São Bernardo, um ícone de Bariloche.

Hora de conhecer a Neve

Sem parar, fomos levados até o pé do Cerro Catedral, um dos passeios mais aguardados por nós nesta viagem. Poderíamos finalmente ter a chance de ver neve de perto! Passado um pouco do horário do almoço, eles nos encaminharam até um restaurante, que logicamente eles devem ganhar alguma comissão ou algo do tipo.

O restaurante era muito bonito, mas também muito caro. Pqna Dai pegou uma sopa de legumes e eu peguei duas empanadas. Não, isso não encheu minha barriga. Mas tínhamos salgadinhos e maçãs na mochila, caso precisasse.

Logo em seguida, tínhamos que subir de teleférico para começar a brincadeira. São dois “níveis”, chamaremos assim. Para chegar ao primeiro, usamos um teleférico fechado que cabem até 4 pessoas. Este nível era tranquilo e já tinha bastante neve. Lá era o lugar ideal para fazer skibunda, montar sue boneco e fazer guerra de bola de neve.

Nosso Boneco de Neve em Bariloche/Argentina

Para chegar ao segundo, usamos um teleférico aberto e esse é recomendado mais para quem gosta de descer de ski e snowboard. Além disso, lá dá para fazer fotos incríveis e degustar algo no restaurante. Lá tem que ter muito cuidado, pois como é muito alto, ventava bastante e com isso vinha muita, mas MUITA neve mesmo. Uma hora tivemos que nos abraçar pra nos proteger.

Infelizmente não tínhamos o tempo que tanto gostaríamos ter para aproveitar. Tínhamos horário para ir até a van e os dois teleféricos tinham uma duração de uns 40 minutos para descer. E como tinham várias pessoas com o mesmo horário, tivemos que nos precaver. Conseguimos fazer algumas fotos, ou algumas tentativas.

Bom pessoal, esse foi nosso post. Não deixe de assistir nosso vídeo, apesar de tudo ficou incrível!

Não perca os próximos passeios na semana que vem!

Um grande beijo e abraço a todos vocês e… TCHAU!

Deixe seu comentário

Digite seu comentário
Insira seu nome