O início das nossas férias em Bariloche – Argentina #01

1766

E como dito na semana passada, vamos começar nossos posts e vídeos da nossa viagem na Argentina, em outubro do ano passado. Neste mês de abril, estávamos planejando tirar férias em comemoração ao nosso aniversário de casamento, mas devido ao coronavírus, resolvemos adiar. A nossa sorte foi conseguir fazer isso com antecedência, desse modo não tivemos nenhum prejuízo.

A IDEIA DE IR PARA A ARGENTINA

Iniciando nossa viagem para Bariloche, Argentina
Iniciando nossa viagem para Bariloche, Argentina

Depois de ir para vários países mais longe, como a China, países da Europa e Peru, tínhamos vontade de ir para um país aqui na América do Sul mesmo. A nossa maior preferência era pelo Chile, mas o fator decisivo seria o que tivesse o menor custo e/ou que estivesse em promoção. Além disso, desta vez teríamos a companhia dos meus pais nesta viagem.

DURANTE A VIAGEM

Nosso itinerário seria algo simples, partindo de Curitiba, fazendo escala no aeroporto de Ezeiza em Buenos Aires e logo em seguida para Bariloche.

Tínhamos poucas horas em Buenos Aires, então aproveitamos para comprar o chip de celular no próprio aeroporto e nos direcionamos até o terminal C. A razão de explicar isso, e que vocês podem ver no vídeo, é que o aeroporto é bem grande e estava em obras. Uma dica que damos é se você for pra lá e o voo saia logo em seguida, não há tempo nem de ir no banheiro. Então já chega, pega a bagagem e se ajeita, ficando próximo do seu portão de embarque.

Assim fizemos também com a alimentação. Nós chegamos próximos do horário de almoço, mas havia apenas uma lanchonete abarrotada de gente. Resolvemos enganar o estômago com balas e doces, já que a duração de voo até Bariloche não seria tão demorado.

Gosta de viagem? Então veja essa experiência: Descemos de tobogã na Muralha da China – Viagem para a China #10

TRANSPORTE EM BARILOCHE

Uma surpresa que tive no momento do planejamento, foi descobrir que Bariloche não possui os serviços do Uber e que havia diversos alertas de perigo de taxistas, principalmente em Buenos Aires. Neste caso, pegamos uma dica dada por diversos turistas, utilizando o serviço de transporte chamado Remis.

Ele nada mais é que um táxi com o valor fechado. Logo que você se direciona até a saída no pequeno aeroporto já encontra um guichê deles. Como estava sem muito movimento, haviam muitos motoristas à disposição. Inclusive, ofereceram motorista que falasse português, portunhol ou espanhol. Como estávamos lá pra aproveitar tudo mesmo, já optamos pelo espanhol pra gente praticar um pouco.

ONDE VAMOS DORMIR

Se vocês ainda possuem o costume de se hospedar em hotel, chegou a hora de se reinventar. Ainda mais se estiverem em alguma situação semelhante a nossa. Assim como nas nossas últimas viagens, optamos por escolher o Airbnb. Esta plataforma nos dá mais opções de localização, opções de casa e preços mais em conta (isso não é um publi).

Com isso, conseguimos alugar uma casa mais barato do que escolher apenas dois quartos de hotel. Sobre o café da manhã, que muitos hotéis ofertam, não fazemos questão, pois gostamos de conhecer os mercados locais e experimentar comidas diferentes.

Uma dica muito importante para quem vai se hospedar lá é escolher ruas próximas ao centro. Esse foi o critério mais rigoroso nosso, e só não foi mais próximo porque os preços aumentavam muito. Mas outra dica valiosa é VEJA NO GOOGLE MAPS e avalie os caminhos que terão que fazer frequentemente.

Rua da nossa casa em Bariloche. Uma subida e tanto.
Rua da nossa casa em Bariloche. Uma subida e tanto.

Por exemplo: Eu vi que a nossa casa seria numa subida, mas não vi como seria o trajeto para as principais ruas. Por consequência, a gente sempre ia disposto para o centro, mas no fim do dia, quando já estávamos exaustos dos passeios e de tanto caminhar, tínhamos que enfrentar uma subida.

PLANEJAMENTO DE PASSEIOS

É até engraçado falar sobre planejamento de passeios, sendo que passamos a nossa tarde e começo de noite, fechando o que íamos fazer nos próximos dias na cidade. Antes que se crie uma dúvida: “Porque não fizeram isso enquanto estavam em casa?”, já respondo: devido a diversas variáveis que poderiam fazer a gente perder tempo e dinheiro.

Apesar de ser uma cidade turística, os passeios podem sofrer alteração de programação e/ou não serem realizados por algumas situações como condições climáticas e obras.

Lá o mais recomendável é fechar os passeios com alguma agência de turismo, que podem te dar desconto na quantidade de passeios ou no número de pessoas, além de ter lojas parceiras que te dão descontos no aluguel de roupas (e sim, não descarte essa opção, falaremos mais em breve).

Fomos com uma lista de coisas que gostaríamos de fazer e tivemos que riscar alguns e adicionar outros. E isso não foi uma tarefa tão simples, pois tínhamos que calcular o horário, localização e dias que cada passeio estaria disponível. Um outro fator que nos pegou de surpresa é que uma rodovia seria fechada por algumas semanas e nos deixaria com apenas um dia disponível para ela e fazer o passeio que passaria por ali e fazê-lo já no dia seguinte.

Outro ponto positivo de se fechar com as agências são o conforto que você tem para os passeios. Além de te buscar e deixar em casa (ou em outro ponto do centro da cidade), eles também oferecem um guia que vai te explicando toda a cidade, seja parte histórica, geográfica e curiosidades.

CÂMBIO DE DINHEIRO

Quando se busca dicas sobre câmbio na Argentina, muitos turistas recomendavam fazer por lá mesmo. O problema é que só líamos a respeito de Buenos Aires e, como não teríamos tempo pra fazer isso lá, acabamos trocando aqui no Brasil mesmo e levando pra aproveitar Bariloche e qualquer coisa, quando fôssemos até Buenos Aires, faríamos lá.

Pois bem, em Bariloche também é possível fazer troca mais vantajosa que no Brasil. Na Calle Mitre, uma das principais da cidade, é possível trocar tranquilamente. Ah, e fuja dos caras que oferecem na rua. Havíamos lido muitos relatos sobre notas falsas.

Calle Mitre em Bariloche de noite
Calle Mitre em Bariloche de noite. Uma das ruas principais para passeio, câmbio de dinheiro, agências de turismo e compras.

NOSSO PRIMEIRO ALMOÇO

Chegamos lá morrendo de fome, então só tivemos tempo de deixar as coisas na casa e partir pro centro para achar algo. No primeiro restaurante que achamos, já achamos convidativo. A entrada era muito bonita, tinha várias pessoas almoçando às 15h, e o preço não era tão barato, mas também não era caro. Nos demos o direito de comer algo mais elaborado, pois como estávamos cansados, isso nos ajudaria a dar força para as tarefas que viriam a seguir.

Pessoal, essas foram nossas primeiras dicas, impressões e experiências. Ao longo das próximas semanas vamos contar muito mais sobre tudo que vivemos por lá. Gravamos vídeos todos os dias, então não se esqueçam de se inscrever no nosso canal e deixar seu comentário. Vamos ficar muito felizes com sua companhia!

A gente se vê na próxima!
Um grande beijo e abraço pra todos vocês e tchau!

1 comentário

Deixe seu comentário

Digite seu comentário
Insira seu nome