José Souza Rocha, de 68 anos, e Maria da Glória Satiro, de 65, receberam a notícia tão aguardada das últimas semanas. O casal recebeu alta após se recuperar da Covid-19, do Hospital Municipal Doutor Nelson de Sá Earp, em Petrópolis, no Rio de Janeiro.

Os dois deram entrada no hospital, no último dia 16, com a suspeita do coronavírus, depois de realizarem exames preliminares. Poucas horas depois tiveram que se separar para se acomodarem em alas diferentes. Eles faziam parte do grupo de risco da doença.

“Estamos sempre juntos na luta, na doença e na alegria. São 47 anos, uma vida inteira. Eu estava sem vê-lo desde a outra semana, ficava preocupada”, disse Maria da Glória em entrevista a ÉPOCA.

“No momento em que a gente tem uma separação, que não é provocada por nós mesmos, é muito triste. Quando consegui unir minha família outra vez foi uma alegria enorme. A gente começa a ver determinadas coisas que quando a gente está bem não consegue ver. Família é o esteio, o princípio de tudo”, contou José.

SUSPEITA

Um de seus três filhos já havia contraído a doença, mas não esteve em contato com os pais, segundo um dos irmãos. Nas primeiras visitas ao médico, o diagnóstico era de sinusite, inflamação que já havia incomodado José em outras ocasiões. E mesmo com o uso dos antibióticos receitados, não surtiram efeito.

A febre de José só aumentava, enquanto Maria da Glória enfrentava dores no corpo e sensação de “resfriado”. A aposentada também é diabética, hipertensa e tem bronquite, condições que deixam o paciente ainda mais vulnerável às complicações da Covid-19.

Ao ser internada, a glicose e a pressão estavam altas, assim como seus batimentos cardíacos. Ela precisou de oxigênio até a última quinta (21) quando conseguiu respirar sozinha sem problemas. Mesmo em estado delicado, ela não se acalmava enquanto não recebesse informações sobre seu marido.

>> Veja também: Noivos se casam com máscaras em uma cerimônia transmitida pela internet

Durante 47 anos de casado, Maria da Glória não hesita em dizer que este foi o momento mais difícil.

“A gente vê todos os dias o que está acontecendo. Foi complicado. Teve muita bênção de Deus, e sei que os médicos também estão ali dando a vida deles. Eles dão muita esperança à gente”, disse. “Com aquela falta de ar, eu pensei que não ia voltar mais para casa. Voltei”, vibrou a aposentada.

Agora curados da Covid-19, o casal se recupera em casa com a ajuda da filha. Graziela Satiro, que não conteve as lágrimas ao ver a cena dos pais deixando o hospital lado a lado.

“Foi muito emocionante. Chorei muito. A gente quase perdeu eles. Perder pai e mãe é muito ruim. Eles são nossa base. Muita gente ainda me manda mensagem, e eu falo que isso é para dar esperança, que tem cura”, afirmou.

Deixe seu comentário

Digite seu comentário
Insira seu nome